<%@LANGUAGE="JAVASCRIPT" CODEPAGE="1252"%> Untitled Document
Rotary São Paulo - Saúde

Durante meados do século passado já despontavam importantes instituições nesta promissora região paulistana, prenunciando o potencial de grandeza e progresso que não tardaria a aflorar. A região estruturava-se gradativamente como elo de ligação dos mercadores e imigrantes, indo ou vindo do Caminho do Mar. Habitada por dezenas de chacareiros e famílias de outros bairros que procuravam o clima mais saudável e o ar puro deste planalto de árvores frondosas. Naquele período surgiam entidades pioneiras, como Sociedades Amigos do Jardim da Saúde (1945, a mais antiga da cidade), a de V. Gumercindo (1952), V. Moraes (1965), também o Grupo Escoteiro Tuiuguê (1961), Associação Cultural e Esportiva Saúde (1967) e outras que foram adicionando grande potencial à região.
Após 1980, em função do dinamismo dos moradores, houve uma modernização nas empresas e instituições do bairro, sobretudo com a fundação do Clube de Lojistas do Jd. da Saúde (1983) e a construção do Templo Maçônico Tiradentes (1984), despertando um grande impulso às atividades coletivas e provocando uma busca aos serviços comunitários já latentes naquele progresso irrefutável.
Em 1986, a área abrigava dois territórios rotários: do RCSP-Ipiranga e do RCSP-Sudeste. A este foi dada pelo então Governador do Distrito 461, José de Faria Granja, a incumbência de viabilizar um novo clube que já emergia através das concorridas reuniões entre os líderes das associações existentes, coordenadas por um jovem empresário, Samir Nakhle Khoury, presidente da maioria delas. Na mesma época, entre os sócios do RCSP-Ipiranga, havia dois companheiros que iam juntos ao clube, eram Nakhle Bassil Khoury, pai do Samir e primeiro comerciante estabelecido no Jd. da Saúde, com seu amigo e administrador de empresas Antônio Carlos de Campos. No entanto, por motivos profissionais, ambos ficaram impossibilitados de ir toda 2ªfeira e procuravam um outro clube para poder manter a mesma assiduidade rotária.
Assim, durante uma reunião da Associação Comercial de São Paulo Sudoeste, onde Samir, Nakhle e Antonio Carlos eram conselheiros, assumiram o compromisso mútuo de fundar um clube que retratasse a realidade desta nova região. Procuraram de imediato os contatos pessoais, bem como a anuência de um clube padrinho, cuja escolha recaiu naquele que possuía o maior número de parentes e amigos: o RCSP Sudeste.
Finalmente lá estavam, num memorável fim da tarde: Ary Jacintho, Cinézio Landgraf, Clóvis Amaral, Fauze Lutfi, João Romano e Willian Cecílio, todos do Sudeste, com o Antônio Carlos, reunidos na sala de estar da Rua Nova Pátria 66, residência do Nakhle e Samir, diligenciando a concretização do lindo sonho. Ali, inúmeros nomes de destaque comunitário e profissional foram relacionados, gerando a possibilidade de um grupo sólido e coeso.
Além daquela reunião histórica houve quatro outras no mesmo local, até que um encontro geral foi marcado no Restaurante Brasa de Ouro, na Av. Cursino. O salão lotado mostrava um ambiente agradável e festivo, onde todos os líderes escolhidos também puderam levar seus convidados. Após 3 mêses de intensos encontros semanais o grupo consolidou-se, viabilizando a indicação da 1ª diretoria, tendo o grande empresário Felício Rugna como Presidente Eleito.
Na noite do dia 17 de Abril de 1987, em um inesquecível jantar festivo, fundaram o então Rotary Club de São Paulo Jardim da Saúde; sendo que, em 1994, para atender ao insistente pedido do ex-presidente Nakhle, seu sábio sucessor na presidência e também fundador Mário New Peixoto, encaminhou proposta aos sócios e aprovaram por unanimidade uma nova denominação, muito mais adequada à realidade territorial: Rotary de São Paulo - Saúde.
Após vários estágios de desenvolvimento o clube sedimentou-se, sendo reconhecido como um dos mais atuantes, praticando companheirismo ímpar e satisfazendo constantemente as necessidades da comunidade e da Instituição em geral. Foi o “Clube da Governadoria” em 2001/02, quando Samir foi Governador, superando recordes distritais e mundiais, demonstrando uma inquestionável pujança do clube. Por outro lado, esta notável liderança solidificou-se desde a fundação da valorosa ASFAR-Saúde (1996), mesmo ano da formação do primeiro Rotarykids do mundo, na época denominado KidsAct-Saúde.
Hoje, o RSP Saúde é uma referência rotária e ao longo de sua rica e vitoriosa história o clube sempre tem indicado representantes para as funções mais relevantes de RI.
Formado por grandes expoentes, estes companheiros e familiares são extremamente unidos e destinados a alcançar o mais alto degrau do Verdadeiro Ideal de Servir.

 

Título "COMPANHEIRO PAUL HARRIS", é o nome que leva o certificado de reconhecimento outorgado pelaFUNDAÇÃO ROTÁRIA, para qualquer pessoa, pela doação expontânea da importância de US $ l.000,00 dólares, com a finalidade contribuir para os fundos da Fundação Rotária, com que são desenvolvidos seus diversos programas humanitários. O nome é uma homenagem ao fundador da organização.

Costuma-se dizer, que cada doador de um título "Companheiro Paul Harris", é responsável pela libertação do perigo da poliomielite, de cerca de 2000 mil crianças em qualquer parte do mundo. São as vacinas que se podem adquirir com esta doação. A erradicação deste grande mal, no mundo inteiro, é um dos maiores programas liderado pelo Rotary International. Desta forma, significam muito as doações feitas, pois dão ao Rotary a condição de implementar este e muitos outros programas de elevado cunho humanistico e de solidariedade em favor de irmãos desconhecidos e que de outra forma não teriam como receber alguma ajuda no abandono e esquecimento em que se encontram.

O PRIMEIRO PAUL HARRIS DO BRASIL


Tenho profunda admiração pelos pioneiros, aqueles que, como visionários, vêem o invisível e tomam a dianteira, rasgam horizontes e deixam suas pegadas para que outros as sigam. A história do Rotary é o exemplo da visão de um homem comum, que teve uma idéia e esta se tornou em um ideal e dentro do ideal rotário outros aportaram programas que engrandecem a nossa organização e mantém acesa a chama do ideal de servir. A Fundação Rotária do Rotary International é como uma barragem em um rio caudaloso – Rotary- que com suas turbinas geram energia elétrica que traz benefícios para as comunidades. Chambers disse que: "Um rio beneficia lugares sobre os quais a sua nascente nada sabe".

Logo após a morte de Paul Harris em 1947, muitas contribuições chegaram em homenagem ao fundador do Rotary,e em 1957 foi oficializado o título de Companheiro Paul Harris, que seria outorgado a "quem contribuísse com a quantia de mil dólares, ou em cujo nome tal doação fosse feita".

O primeiro a se tornar companheiro Paul Harris no Brasil foi José Garcia Molina, sócio do Rotary Club de Londrina, que em 1968 ouviu falar das bolsas educacionais, cujo objetivo era e é, criar "boa vontade entre os povos"; para tanto havia necessidade de contribuição financeira. Molina, como autêntico pioneiro, acreditou nos propósitos da Fundação e enviou sua contribuição. José Garcia Molina foi integrante da Força Expedicionária Brasileira que lutou nos campos de batalha na Itália, na última Grande Guerra. Durante a campanha "Ouro para o bem do Brasil", em 1964, ele doou uma enxada fundida toda em ouro, que fizeram em homenagem a seu pai, pioneiro em Londrina, homem humilde e afeito ao trabalho. José Garcia Molina foi presidente do Rotary Club de Londrina, no ano de 1967-68 e morreu em oito de fevereiro de 1995.

Em setembro de 1993, ao visitar Londrina, o presidente de Rotary International, Robert Barth, entregou à senhora Arani Garcia, mulher de Molina, um diploma de reconhecimento pelo pioneirismo da contribuição. No ano de 1972, mais dois brasileiros receberam o título: Nicolau Filizola e Mario Frujuele, ambos do Rotary Club de São Paulo. Atualmente temos cerca de 700 mil sócios Paul Harris em todo o mundo e 22 mil no Brasil. O apóstolo Paulo nos ensina em Romanos 13,7 "A quem honra, honra"

ball.gif (1653 bytes)      ball.gif (1653 bytes)      ball.gif (1653 bytes)      ball.gif (1653 bytes)      ball.gif (1653 bytes)      ball.gif (1653 bytes)    

SAFIRAS, RUBIS E DIAMANTES

As doações em favor da Fundação Rotária, em forma de títulos Paul Harris, são uma das grande fontes de recursos de sustentação das obras de nossa organização. Aquele que faz a doação recebe como reconhecimento da Fundação, um certificado da doação e um pin para usar na lapela junto ao seu distintivo. Para cada doação adicional de mil dólares, o pin receberá o acréscimo de uma safira. Depois de cinco safiras o pin passa a ter  um rubi para cada doação adicional, até 3 rubis. Aquele que fizer doações além do já descrito, acumulando 10 mil dólares, receberá um pin com um diamante. Para isto, é preciso que as doações sejam feitas no mesmo nome e não para outras pessoas, como é normalmente feito.



Discurso do Malhete e do Baú

Coloco em suas mãos este malhete. Ele é o emblema simbólico da liderança que agora lhe é confiada. O malhete está para o presidente assim como a razão está para as paixões. Ele domina a ambição, suprime a inveja e extingue qualquer fraqueza que tente desmerecer seu ânimo e seu ideal de servir ao clube e ao Rotary em geral.

Entrego para seu especial cuidado o Baú Secreto do Saúde. Ele nos foi confiado por nosso fundador, companheiro Nakhle Khoury, e contém mensagens de todos os presidentes que já passaram por este posto. Os caracteres escritos poderão se apagar no decorrer dos anos, mas os significados nele contidos serão eternos e inalteráveis. Estou certo de que, confiado à sua guarda, ele nada perderá do brilho inigualável e passará ao seu sucessor de forma pura e imaculada, exatamente como você o recebe hoje.

Agora, passo a direção deste clube aos seus cuidados, na certeza de que você bem entende a responsabilidade que lhe cabe como presidente do Rotary São Paulo Saúde. Observe o máximo de seu desempenho pessoal para o cumprimento das normas e ideais da Instituição. A honra, reputação e eficiência do clube, dependem doravante da competência, do zelo e da habilidade com que você irá conduzir as reuniões e as nossas atividades rotárias. O proveito dos companheiros será um resultado direto da constância e do fervor que você certamente irá manter na observância dos nossos preceitos.

Que entre os componentes do Saúde reine a felicidade e a tranqüilidade de um companheirismo sadio. Que a bondade e o amor verdadeiro seja por todos cultivados, tanto dentro quanto fora do clube. E que esta solenidade seja comemorada eternamente como uma data auspiciosa para o progresso do Rotary e da Humanidade em geral.

Eis os meus votos neste dia memorável, onde tenho a elevada honra de entregar a tutela do querido Saúde ao presidente. Passo, desde já, a ser mais um soldado do nosso clube.


TROFÉU JOSÉ FREDERICO ATHIA

Em 2003, o Rotary São Paulo – Saúde institui o Troféu José Frederico Athia para homenagear este Ex presidente, falecido naquele ano, que dedicou sua atenção no auxilio de entidades assistenciais e beneficentes.

O clube definiu que entregará um só troféu por gestão e em data a ser designada pelo presidente do ano.

O homenageado poderá ser pessoa da comunidade, ou um rotariano, ou alguma entidade que lute em prol de causas sociais.

Ainda em dezembro e 2003, sob a presidência de Aguinaldo Ranieri de Almeida, foi outorgado o 1º Troféu, oferecido para a esposa do próprio José Frederico Athia, companheira  da ASFAR – Saúde (Associação de Famílias de Rotarianos), Maria Jacinta Pacheco Athia.

 

           Gestão                   Homenageados

2002/2003          Maria Jacinta Pacheco Athia                       
2003/2004          CACCC(Centro de Apoio a Criança Carente com Câncer)
2004/2005          Rute Barbeiro Matcin
2005/2006          Instituição Alice Tibiriçá de Civismo e Solidariedade
2006/2007          Loja Maçonica 21 de Abril
2007/2008          Centro Assistencial Santa Ângela 
2008/2009          Casa de Repouso São Francisco de Assis
2009/2010          Terezinha de Jesus A. C. Alves – Igreja São Francisco Sales
2010/2011          Centro Social Nossa Senhora de Lourdes do Alto do Jabaquara – Lar São José